quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Origens dos Gaúchos Bascos


EN CASTELLANO:
Os bascos, assim como os castelhanos, catalães e galegos, chegaram ao território do Rio Grande do Sul vindos do Rio da Prata: Buenos Aires ou Montevideo. Em uma época anterior à assinatura do Tratado de Madrid, estas famílias povoaram as regiões da Pampa Gaúcha conhecidas atualmente como "Fronteira-Oeste e Campanha" e as Misiones Orientales. Mesmo após a vigência do Tratado, que formalizou a posse lusitana destes territórios, não cessou o fluxo de migrantes rioplatenses à metade sul do Rio Grande. 

Entre os grupos étnicos europeus formadores do povo gaúcho, os bascos (e demais etnias ligadas à Espanha) integram a parcela minoritária que não possui ligação histórica nem com a Colônia Luso-Brasileira, nem com o Império Brasileiro. Todos os demais: açorianos (sec. XVIII); alemães, italianos, poloneses, etc. (sec. XIX)  fizeram parte dos projetos de povoamento desenvolvidos por iniciativa dos governos centralizadores do Rio de Janeiro, desde o período colonial até o Império.

A Cultura gaúcha, que surgiu na Pampa e se espraiou para muitas regiões vizinhas, é claramente baseada em ítens emprestados aos povos americanos, principalmente os pampeanos (Charrua, Minuanos, etc.) e os patagônicos (Tehuelche), mas também os andinos e amazônicos (Guaranis). 

Da contribuição ibérica para a formação da cultura gaúcha é fácil deduzir quais grupos tiveram participação mais efetiva. Sem dúvidas, que o gaúcho guarda muitas características lusitanas e castelhanas. É o povo basco porém, que ainda hoje em dia, apresenta mais afinidades com os gaúchos dos três lados das fronteiras.


(*Por estarem presentes na região há muitos séculos, os povos africanos também tiveram participação relevante neste processo. Maior nas regiões de charqueadas, onde se usava mais quantidade de mão-de-obra, e menor em outras regiões.)
(**A contribuição dos grupos majoritários no Rio Grande atual: alemães e italianos, iniciou em um período recente (sec.XIX), da mesma forma aconteceu com os cerca de 20 outros grupos europeus e asiáticos que formam a população gaúcha atual.) 

RIO GRANDE DO SUL (UBICACIÓN)



6 comentários:

  1. Meu trisavô Grégoire Goyheneix é originário de Menditte, Aquitaine, France e ele chegou no Uruguai em 1941 junto com seu primo Pierre Goyheneix, ambos carpinteiros. Após vieram para o Brasil onde ele e sua esposa Marie Salles fixaram residência em Pelotas, dando origem a uma vasta descendência. Eu não consegui avançar na genealogia de antes dos meus pentavós porque não encontrei em Menditte os registros anteriores a 1793. Obrigado. Gastão Ney Monte Braga dit Goyheneix

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kaixo Sr. Gastão! Boa tarde! Goyheneix me parece ser a versão galicizada do sobrenome basco "GOIENETXEA"! No lado espanhol, a variação mais comum é Goyeneche, consagrada pelo cantor de tangos argentino Roberto Goyeneche. GOIEN+ETXEA significa "A casa mais de cima" e segundo o Portal Kaixo!, o registro mais antigo deste sobrenome é do ano de 1738, em Getaria (Gipuzkoa). Exitem registros posteriores em Zestoa (Gipuzkoa), Bermeo (Bizkaia) e Uharte-Garazi no lado francês (Baixa-Navarra). Vou pesquisar mais, se quiseres deixar seu email, lhe responderei se descobrir mais algum detalhe! abraços!

      Excluir
  2. Francisco Arrachea e Marie Etcheverry, trisavós do meu marido, se instalaram em Bagé em torno de 1876. Francisco nasceu em Irurita, Valle de Baztán, e foi para Montevideo em 1858. Em 1865, casou-se em Montevideo com Marie Etcheverry, francesa dos Baixos Pirineus (ainda não sabemos a cidade). Adoraria saber mais sobre outros bascos de Bagé que talvez tenham confraternizado com estes antepassados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kaixo Gisele! Boa tarde! Em Bagé há muitos descendentes de bascos, Garrastazu, Etchegaray e várias outras famílias. Existem vários bageenses no grupo do facebook da Euskal Etxea.
      O sobrenome Guerra também é de origem basca e os registros mais antigos que eu encontrei aqui são os seguintes: Pedro de Arreguy y Guerra, nascido em Azpeitia(GIPUZKOA) em 1540, e Juan de Guerra, nascido em Urretxu(GIPUZKOA) em 1490.
      O registro mais antigo de Arrechea: Maria Elordui Arrechea, nascida em Oñati(GIPUZKOA) em 1541.
      Sobre Etcheverry (Etxebarria) há muitos registros antigos relacionados à localidades na Espanha. Mas na França, a referência mais antiga aos Etcheverry é na cidade de Baigorri, na Baixa-Navarra... conhecida em francês como Saint Etienne de Baigorry. Publicamos uma matéria sobre a cidade aqui: http://casabascars.blogspot.com.br/search/label/baigorri

      Excluir
    2. No hay ningún gaucho que se apellide Bolumburu? Si es asi me puede enviar mail a mjmonchet2000@gmsil.com. Soy española y estamos haciendo el arbol genealogico de los Bolumburu.

      Excluir
  3. Olá!!! Meu nome é Diego Delabary. Minha família é originária da comuna de Anhaux, na Baixa Navarra, antiga província de Baixa Navarra, hoje Departamento de Pireneus-Atlanticos, país basco francês. Meus tetravós Bernard Delabary e Jeanne Salduberry Delabary (ditos Bernardo e Joana no Brasil) emigraram para a América do Sul por volta de 1850, passando por Montevideo, Paysandu e Salto no Uruguay e se estabelecendo em Lavras do Sul, no Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir